segunda-feira, 29 de novembro de 2010

"VIVER DA MORTE, MORRER DA VIDA"

                                        Imagem: http://issoebossanova.blogspot.com/
Na simultaneidade do nascimento e da morte a expressão inquietante do filósofo  Heráclito, acima, resume os dois planos da vida, em especial a sua efemeridade. Traz à pauta o mistério de suas múltiplas dimensões. A morte, ao não anular a vida, atravessa-a. Diante de sua presença, instaura-se uma abertura para os momentos que se foram: são marcas que  inquietam e reverberam - insistem em permanecer pelo tempo que se segue... 

Ao envolver  o acidental do acontecimento, a interrupção da trajetória humana acende um lume para as marcas de empatia contidas na pessoalidade de quem se foi deste palco: de ordinária, a vida se transmuta em extraordinária e faz refletir... nos corredores, os encontros havidos - e que agora se apresentam de modos inusitados - ganham renovadas afecções e passam a ressoar, nas almas, pelo tempo vindouro e por aí afora...

A partir desse domingo, com a partida prematura do colega Sarmento, as lembranças de efêmeros encontros desassossegam e ficam a reverberar nas tramas subjetivas de  quem com ele entrecruzou - parecem querer demonstrar-nos  que nossa humanidade necessita ser mais humana e menos apressada nas relações com a cotidianeidade da vida.

A  inquietação que envolvia a aura do colega, de modo brusco, concita-nos a  pensar nas possibilidades de redesenhamentos da vida em grupo.

É verdade: a empatia está na ordem mais direta do dia!

Jussara Midlej

4 comentários:

  1. linda reflexão! e vejo como na partida, Sarmento, nos aproximou como grupo. Que possamos ser essa familia mencionada por Matos hoje de manhã.

    ResponderExcluir
  2. Tânia Regina Braga Torreão Sá30 de novembro de 2010 08:45

    O texto sobre Sarmento que eu postei no meu blog está a sua inteira disposição, e do seu esposo também, porque depois que eu o publiquei, não posso mais deixar de pensar nele como ideias e emoções que se colocam para o mundo. Abro mão, pois, da propriedade intelectual do mesmo, porque desejo o mais possível, apresentar a todos, o quanto ainda fomos privilegiados por conviver com um homem como Manoel Soares Sarmento Filho. Quando o escrevi, procurei deixar o meu sentimento mais verdadeiro incorporar-se a minha escrita. Procurei descrever o ser humano de natureza dócil, bom, que se apresentava diante de mim e da minha família, bem como, procurei apresentar também, o homem que eu não conheci: ávido por escarafunchar o submundo e se embrenhar em suas "margens". Ainda fazendo uma reflexão comprometida pelo sentimento de saudade e de perda, acho outras identidades/alteridades para o nosso amigo Sarmento. Tal qual Quincas, Sarmento se assemelha também a Michel Foucault, que desce aos subterrâneos de Paris, para "encavar" as "mundanidades" de tal universo: cerca-se por michês, prostitutas e travestis. Adora as perversões fetichistas (sado masoquistas) do sexo. Enfim, tal qual Quincas e Foucault, Sarmento não se furtava de nada que lembrasse o conta-gotas das emoções que regulam a nossa passagem por essa vida tão "bancária", e, por isso, ainda que esteja ressentindo-me por uma dor que "[...] é o revés do parto [...]", reanimo-me. Tenho certeza que me recomporei brevemente, porque quando aplacar a saudade, estarei convencida que Sarmento morreu de tanto viver...e, ao seu modo, FOI FELIZ como poucos sabem ser.

    ResponderExcluir
  3. Cara amiga Jussara; só você para escrever esta bela reflexão em homenagem ao nosso colega, e querido amigo; por estar doente optei por não ir ao velório; no entanto presthei-le minhas reverências no IML até a saída do corpo para o Wally, junto com a colega e amiga professora Jussara Camilo. Sarmento, agora ser espiritual, encantou-se; pessoas como ele não morrem; e mesmo vivenciando a Kundalini, (porquê em emergência espiritual, de que nos fala o grande neurofisiologista escritor Stanislav Groff), não deixou de ser ético, competente, comprometido e humano no trato com os outros.

    ResponderExcluir
  4. Lindo , lindo . nunca vi algu tão lindo ! Eu estou lizongilada yeah

    ResponderExcluir